Dia Mundial sem Tabaco: alerta sobre doenças relacionadas ao tabagismo

10 de maio de 2020

O Dia Mundial Sem Tabaco, comemorado em 31 de maio, foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. Estimativas do Instituto Nacional de Câncer (INCA) apontam que em 2020 serão diagnosticados 30.200 casos de câncer de pulmão, sendo 17.760 em homens e 12.440 em mulheres. O tabagismo é a principal causa de câncer de pulmão e de outras doenças respiratórias e cardíacas. A exposição à poluição do ar, infecções pulmonares de repetição, deficiência e excesso de vitamina A, doença pulmonar obstrutiva crônica, fatores genéticos e história familiar de câncer de pulmão também favorecem ao desenvolvimento desse tipo de tumor.

O oncologista clínico do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), Gustavo Vasili Lucas, explica que quanto maior a intensidade da exposição ao tabagismo, o risco do desenvolvimento do câncer de pulmão e de morte pela doença aumenta. Estudos mostram que a mortalidade por câncer de pulmão entre fumantes é cerca de 15 vezes maior do que entre pessoas que nunca fumaram, já entre ex-fumantes é cerca de quatro vezes maior.

Estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que um terço da população mundial adulta é fumante, cerca de 2 bilhões de pessoas, sendo 47% de homens e 12% de mulheres. “Apesar do número de tabagistas diminuir nos últimos anos, ainda há muito a ser feito, pois vemos o aumento do tabagismo entre adolescente e mulheres, e também o consumo de derivados de tabaco, entre eles cigarros, charutos, cachimbos e narguilés. Por isso a importância de se continuar com as campanhas educativas e conscientizar a população em datas como o dia 31 de maio, que é o Dia Mundial Sem Tabaco”, destaca.

Cuidado com os cigarros eletrônicos

Mesmo com a comercialização proibida no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os cigarros eletrônicos estão ganhando cada vez mais adeptos. De acordo com o INCA, os Dispositivos Eletrônicos para Fumar (DEFs) não são seguros e possuem substâncias tóxicas além da nicotina. Estudos mostram que os níveis de toxicidade podem ser tão prejudiciais quanto os do cigarro tradicional.

Veja mais informações em: Sinal de alerta: cuidado com os vaporizadores e cigarros eletrônicos

 

Como deixar de fumar?

Cada vez mais as pessoas devem se conscientizar sobre a prevenção de doenças, principalmente o câncer, mantendo uma vida com hábitos saudáveis, alimentação adequada, além de tentar diminuir ou mesmo acabar com o consumo de álcool e tabaco, aliado ainda com a prática de atividades físicas regulares. O paciente (tabagista) tem que ter muita certeza e vontade de parar, porém, é fundamental a orientação de um especialista para a escolha do medicamento adequado, caso seja preciso essa intervenção e não apenas a simples mudança de hábito.

Dicas para parar com o tabagismo

. Leia e se informe sobre os malefícios;

. Desassocie o ato de fumar ao prazer;

. Retire objetos relacionados com o cigarro;

. Evite o álcool e a cafeína;

. Envolva a família;

. Faça atividades físicas regularmente;

. Procure orientação médica e do psicólogo, pois atualmente o tratamento do tabagismo inclui o uso de medicamentos que auxiliam no processo e manutenção.