Agende uma consulta

Novo medicamento é aprovado para o tratamento do câncer de esôfago

Novo medicamento é aprovado para o tratamento do câncer de esôfago e junção gastroesofágica

Os pacientes com câncer de esôfago e da junção gastroesofágica (JGE) com doença metastática ou localmente avançada não candidatos a ressecção cirúrgica curativa ou protocolo de quimiorradioterapia definitiva agora possuem mais um aliado para o tratamento. Recentemente, o Food and Drug Administration – FDA, órgão dos Estados Unidos que equivale à Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa aqui no Brasil, aprovou o uso do anticorpo monoclonal anti-PD-1 pembrolizumabe em combinação à quimioterapia baseada em fluoropirimidina e platina para esses pacientes.

A aprovação foi feita depois da análise de dados do estudo de fase III KEYNOTE-590 com 749 paciente que utilizam pembrolizumabe ou placebo combinados à quimioterapia com fluoropirimidina e platina. Desses pacientes, cerca de três quartos possuíam tumores de histologia escamosa e aproximadamente a metade deles apresentava alta expressão de PDL-1. Também foi observado que houve uma redução de 27% no risco de morte e uma sobrevida de 45% dos que utilizaram o anticorpo e 29.3% o placebo. Já em relação a segurança, a taxa de eventos adversos com a utilização do imunoterápico foi 71,9%. Entre os principais sintomas de toxicidades mais frequentes estão náusea, constipação, diarreia, vômito, estomatite, fadiga/astenia, redução do apetite e perda de peso.

De acordo com o oncologista clínico Gustavo Vasili Lucas, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP, o medicamento proporcionará aos pacientes respostas duráveis em tumores avançados/metastáticos com tratamento prévio, com alto perfil de segurança e poucos efeitos colaterais.

Tags

O IOP utiliza cookies e tecnologias semelhantes que nos ajudam a fornecer melhor experiência e navegação. Ao clicar no botão “Concordar” ou continuar a navegar em nosso site, você está ciente e concorda com o uso de cookies.