Agende uma consulta

BI-Rads: Entendendo o Sistema de Classificação Crucial para a Detecção do Câncer de Mama

O câncer de mama é uma das doenças mais comuns e preocupantes entre as mulheres. A detecção precoce desempenha um papel fundamental na melhoria do prognóstico e no aumento das chances de cura. Para auxiliar nesse processo, foi desenvolvido o BI-Rads, um sistema de classificação crucial para interpretar resultados de exames de imagem, como mamografias, de maneira mais precisa. Neste artigo, iremos explorar o significado de cada estágio do BI-Rads e entender por que ele é tão importante na luta contra o câncer de mama.

O que é o BI-Rads?

O termo BI-Rads se origina do Breast Imaging Reporting and Data System, que em português significa Sistema de Relatório de Dados sobre Imagem da Mama. Esse sistema foi desenvolvido pelo American College of Radiology (ACR) e é amplamente utilizado para avaliar a probabilidade de uma imagem de mamografia indicar câncer. O BI-Rads utiliza uma escala que vai de 0 a 6, sendo que cada estágio representa uma categoria específica de avaliação.

É importante ressaltar que o BI-Rads não fornece informações sobre o estágio ou o tipo do tumor, nem orienta sobre o tratamento. Sua função principal é indicar a probabilidade de câncer associada à imagem, expressa em termos percentuais. Com base nessa avaliação, o médico decidirá se são necessários exames adicionais ou se a paciente pode continuar com o rastreamento normal, incluindo uma nova mamografia no próximo ano.

Os Estágios do BI-Rads

Agora que entendemos o que é o BI-Rads, vamos conhecer os diferentes estágios desse sistema de classificação e o que cada um deles significa.

BI-Rads 0: Incompleto

A categoria BI-Rads 0 é utilizada quando não há informações suficientes das imagens disponíveis para se chegar a uma conclusão. Isso pode ocorrer devido a fatores técnicos, como imagens de baixa qualidade devido a posicionamento impróprio ou movimento, ou quando uma lesão questionável não foi completamente avaliada nas visualizações de rastreamento padrão. Nesses casos, é necessário realizar exames adicionais para obter mais informações.

BI-Rads 1: Negativo

A categoria BI-Rads 1 indica uma avaliação completamente negativa. Isso significa que não foram encontradas alterações suspeitas na mamografia. A recomendação é que a mulher continue com o rastreamento mamográfico e o exame clínico das mamas, de acordo com as diretrizes de rastreamento atuais.

BI-Rads 2: Benigno

A categoria BI-Rads 2 é atribuída a massas ou calcificações que são consideradas benignas. Isso inclui lesões como fibroadenomas, cistos ou calcificações vasculares ou parenquimatosas benignas. Nesses casos, não há preocupação com malignidade e nenhuma ação adicional precisa ser tomada. A justificativa para relatar essas descobertas é documentar a benignidade e prevenir avaliações desnecessárias. O acompanhamento de rotina é recomendado.

BI-Rads 3: Provavelmente benigno

A categoria BI-Rads 3 é utilizada quando há uma descoberta que não possui características benignas características, mas a probabilidade de malignidade é inferior a 2%. Isso inclui lesões como assimetrias focais, grupos de calcificações redondas ou massas circunscritas detectadas em exames de rastreamento de base.

Nesses casos, é necessário acompanhar a lesão em intervalos mais curtos do que o intervalo de rastreamento de um ou dois anos para avaliar a estabilidade. Geralmente, a lesão é acompanhada com mamografia diagnóstica e/ou ultrassonografia em intervalos de 6 a 12 meses por até três anos. O acompanhamento em intervalos mais curtos pode ser solicitado para vigilância próxima de uma lesão que não é claramente benigna. Em qualquer um desses acompanhamentos em intervalos, a lesão pode ser rebaixada para a categoria BI-Rads 2 se se declarar claramamente benigna.

BI-Rads 4: Suspeito de malignidade

A categoria BI-Rads 4 indica que há uma suspeita significativa de malignidade. Isso significa que a lesão apresenta características que aumentam a probabilidade de ser um câncer de mama. Essas características podem incluir assimetrias assimétricas, distorção arquitetural, microcalcificações suspeitas ou massas irregulares.

Nesses casos é importante realizar consulta com um mastologista  e também é recomendado realizar exames adicionais, como biópsias, para confirmar se a lesão é realmente maligna. O objetivo é obter um diagnóstico definitivo para que o tratamento adequado possa ser iniciado o mais rápido possível.

BI-Rads 5: Altamente suspeito de malignidade

A categoria BI-Rads 5 é utilizada quando a lesão apresenta características altamente suspeitas de malignidade. Isso significa que há uma alta probabilidade de que a lesão seja um câncer de mama. Essas características podem incluir microcalcificações agrupadas, distorção arquitetural marcante ou massas com características altamente suspeitas.

Nesses casos é importante realizar consulta com um mastologista e também realizar exames adicionais, como biópsias, para confirmar o diagnóstico de câncer de mama. O tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível para aumentar as chances de cura.

BI-Rads 6: Comprovado maligno

A categoria BI-Rads 6 é atribuída quando já existe um diagnóstico confirmado de câncer de mama. Nesses casos, o objetivo é avaliar a extensão da doença e planejar o tratamento adequado. O tratamento pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou terapia hormonal, dependendo do estágio e das características do câncer. Nesses casos é importante realizar consulta com um mastologista.

Perguntas Frequentes sobre o BI-Rads

Aqui estão algumas perguntas frequentes sobre o BI-Rads e suas respostas:

  1. O que significa BI-Rads?

    O termo BI-Rads significa Breast Imaging Reporting and Data System, que em português significa Sistema de Relatório de Dados sobre Imagem da Mama.

  2. Qual é a função do BI-Rads?

    O BI-Rads é utilizado para avaliar a probabilidade de uma imagem de mamografia indicar câncer de mama. Ele fornece uma classificação que ajuda os médicos a tomar decisões sobre exames adicionais e tratamento.

  3. O BI-Rads indica o estágio do câncer de mama?

    Não, o BI-Rads não fornece informações sobre o estágio ou o tipo do tumor. Sua função é indicar a probabilidade de câncer associada à imagem.

  4. Quais são os estágios do BI-Rads?

    Os estágios do BI-Rads vão de 0 a 6, sendo que cada estágio representa uma categoria específica de avaliação.

  5. O que acontece se minha mamografia for classificada como BI-Rads 4 ou 5?

    Se sua mamografia for classificada como BI-Rads 4 ou 5, é recomendado realizar exames adicionais, como biópsias, para confirmar o diagnóstico de câncer de mama. O tratamento adequado será iniciado o mais rápido possível.

Conclusão

O BI-Rads é um sistema de classificação crucial para a interpretação de resultados de exames de imagem da mama, como mamografias. Ele ajuda os médicos a avaliar a probabilidade de uma lesão ser maligna e tomar decisões sobre exames adicionais e tratamento. É importante lembrar que o BI-Rads não fornece informações sobre o estágio ou o tipo do tumor, mas é uma ferramenta essencial na detecção precoce do câncer de mama. Portanto, é fundamental que as mulheres realizem exames de rastreamento regularmente e sigam as recomendações médicas para garantir a saúde das mamas.

Sobre o IOP – Instituto de Oncologia do Paraná:

Com quatro sedes estrategicamente localizadas em Curitiba (PR), o IOP (Instituto de Oncologia do Paraná) comemorou em 2023 seus 28 anos de fundação. Hoje a empresa faz parte de uma holding, o Grupo Med4U. Além do IOP, estão no guarda-chuva o IOP Educa, IOP Pesquisa, Mantis Diagnósticos Avançados, Valencis Home Hospice e Oncoville, centro de radioterapia.

Destaques para a parceria com o Hospital São Marcelino Champagnat, desde dezembro de 2021, assim como a parceria com o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Vale ressaltar que o IOP é a única clínica do sul do Brasil a fazer parte da Rede Einstein de Oncologia e Hematologia, para discussão de casos, troca de conhecimentos e encaminhamento de casos raros e mais complexos quando necessário.

Com 93 médicos no corpo clínico e 184 colaboradores, o IOP oferece os mais avançados tratamentos no câncer, conjugando Medicina de qualidade, tecnologia e humanização. Conta ainda com uma equipe multidisciplinar, incluindo Nutrição, Psicologia, Enfermagem e Farmácia para o enfrentamento positivo da doença. Os tratamentos de ponta ainda são beneficiados com diferenciais como cromoterapia, aromaterapia e musicoterapia. Para agendar sua consulta, acesse nosso site https://iop.com.br/

Tags

O IOP utiliza cookies e tecnologias semelhantes que nos ajudam a fornecer melhor experiência e navegação. Ao clicar no botão “Concordar” ou continuar a navegar em nosso site, você está ciente e concorda com o uso de cookies.