Carcinoma Hepatocelular: Discussão de Caso Clínico e estudos de tratamento

26 de fevereiro de 2021

O corpo clínico do IOP sempre é convidado para participar dos principais encontros científicos nacionais e internacionais. Mantendo essa tradição, os oncologistas clínicos Tabatha N. Dallagnol e Gustavo Vasili Lucas participaram, no último dia 23, de evento on-line sobre “Carcinoma Hepatocelular: Discussão de Caso Clínico e estudos em primeira linha de tratamento”.

Para Tabatha N. Dallagnol, que discorreu sobre o tema, a importância desse tipo de discussão se dá pelo fato de a incidência do câncer de fígado ter aumentado na população, sendo hoje o 6º tipo mais comum de câncer no mundo. O hepatocarcinoma, ou carcinoma hepatocelular (CHC), corresponde a 90% dos casos e ainda apresenta alta mortalidade. Entre os fatores de risco conhecidos para esse câncer destaca-se a presença de cirrose hepática na maioria dos pacientes. “O CHC manifesta-se de forma silenciosa, logo, os sintomas raramente são apresentados nos estágios iniciais, o que dificulta o diagnóstico precoce – enfatiza-se, portanto, a necessidade de programas de rastreamento nas populações de alto risco. O tratamento do CHC é desafiador e envolve uma equipe multidisciplinar para melhores resultados com atuação conjunta do hepatologista, radiologista, oncologista clínico e time cirúrgico. Nos casos de doença avançada, não passível de cirurgia ou outros tratamentos locais, as estratégias com maior impacto em sobrevida local contemplam, hoje, uso de terapia-alvo e imunoterapia, já que a quimioterapia convencional apresenta benefícios modestos e de duração limitada.”