IOP discute cânceres hematológicos em Fórum de Debates

16 de março de 2020

Terapia celular CAR-T Cell, Linfoma de Grandes Células B e Mieloma Múltiplo foram os temas abordados no Fórum de Debates IOP

O Instituto de Oncologia do Paraná realizou na última quinta-feira (12) seu Fórum de Debates desta vez com foco em Hematologia. Os palestrantes trouxeram para o público participante temas da atualidade, que envolvem Linfoma de Grandes Células B e uso de Polatumumab”; “CAR-T Cell” e finalizando o encontro Mieloma Múltiplo.

O médico André Abdo, pesquisador clínico no Hospital das Clínicas (FMUSP-SP) e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) e gerente do Núcleo de Linfoma e Mieloma do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, falou sobre Linfomas de Grandes Células B e uso de Polatumumab. Para ele, “O linfoma (LNHDGCB R/R) é um dos grandes desafios da Onco-hematologia atualmente”.

A novidade no tratamento de cânceres hematológicos, como linfomas e leucemias, a terapia celular também foi tema central de palestra. Denominada pelos especialistas de CAR-T Cells, ela age como uma terapia-alvo, porém sem utilizar medicamentos. As chamadas CAR-T Cells são células de defesa do organismo, que são extraídas e moldadas em laboratório para combaterem o tumor do próprio indivíduo. “As CAR-T Cells agem reprogramando as próprias células do paciente contra a doença”, cita a doutora Nicolle Queiroz Hazarbassanov, da Fundação Antonio Prudente/A.C. Camargo Cancer Center e Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer. De acordo com a especialista, “A previsão para um futuro próximo é a associação das CAR-T Cells com outras monoterapias para um resultado mais efetivo”.

Para falar sobre Mieloma múltiplo, o IOP trouxe o médico hematologista Dani Laks, do Hospital Moinhos de Vento. Dr. Laks enfatizou a importância do diagnóstico. “No Brasil, o paciente já chega com um estágio bem avançado da doença, isso faz com que ele perca tempo de tratamento. Por isso nosso alerta é que se ofereça desde o início o melhor tratamento, para que paciente tenha uma sobrevida aumentada.”