Anvisa aprova a imunoterapia para pacientes com câncer de mama no Brasil

28 de maio de 2019

Anvisa aprova a imunoterapia para pacientes com câncer de mama no Brasil

O mês de maio vai ficar marcado por mais um avanço no tratamento do câncer de mama para as pacientes brasileiras. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa aprovou o primeiro tratamento com imunoterapia para essas pacientes. O oncologista clínico do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), João Soares Nunes, explica que “A aprovação da Anvisa é a confirmação independente pela agência reguladora do governo de que o medicamento funciona e é capaz de ajudar as pacientes conforme o estudo clínico realizado. É o primeiro passo para a comercialização e acesso à medicação por parte das pacientes.”

 O tratamento aprovado com o atezolizumabe traz a possibilidade de se ver aumentada a sobrevida das mulheres com um tipo de câncer de mama específico. “A imunoterapia aprovada pela Anvisa é para uma situação bem específica. O tratamento foi aprovado para pacientes com câncer de mama metastático (espalhado), do subtipo triplo negativo, isto é, que não sofre influência hormonal e que não expressa uma proteína chamada HER2. Além disso, o tumor deve expressar um marcador imunológico chamado PD-L1 em mais de 1% das células. Esta situação restringe o uso para cerca de 10% dos casos metastáticos”, expõe o oncologista clínico.

 Apesar de ser um tratamento exclusivo para um grupo específico, essa aprovação será responsável por diversos benefícios para as pacientes. Esse tipo de imunoterapia foi testado combinado com a quimioterapia, comparando apenas com a quimioterapia, num cenário de doença muito grave. Observou-se, no estudo, uma melhora no tempo de vida total da paciente e no período que a medicação controlou o câncer sem deixá-lo crescer. “O perfil de efeitos colaterais foi aceitável quando feito o tratamento combinado versus a quimioterapia isolada”, destaca João Soares Nunes.