ANVISA aprova novo medicamento para tratamento do câncer de esôfago

2 de outubro de 2021

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou, no último dia 30 de agosto, o uso do medicamento nivolumabe para o tratamento adjuvante em pacientes portadores de câncer de esôfago ou da junção gastroesofágica (JGE) que apresentam, independente da expressão de PDL-1, doença residual após protocolo de quimioterapia combinado com radioterapia seguido de cirurgia.

Para a aprovação do medicamento, foi utilizada como base os dados do estudo de fase III CheckMate 577, onde 794 pacientes com o diagnóstico de câncer gástrico ou da JGE foram submetidos à cirurgia de ressecção completa com margens negativas após protocolo de quimioirradiação. Esses pacientes foram randomizados a uma razão 2:1, utilizando nivolumabe ou placebo adjuvantes durante um ano, possibilitando avaliar um inibidor de checkpoint como terapia adjuvante.

De acordo com o cirurgião oncológico Luiz Antonio Negrão Dias, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP, o medicamento proporcionará aos pacientes mais uma opção de tratamento individualizado, com mais segurança e poucos efeitos colaterais associados à melhor qualidade de vida.

Vale salientar que, segundo o Instituto Nacional de Câncer – INCA, o câncer de esôfago é o sexto mais frequente entre os homens e o 15º entre as mulheres, com exceção ao câncer de pele não melanoma. É o oitavo mais frequente no mundo e a incidência em homens é cerca de duas vezes maior do que em mulheres.