Como fortalecer o organismo depois do tratamento

8 de setembro de 2021

“Que seu remédio seja seu alimento e que seu alimento seja seu remédio.”

A frase de Hipócrates – considerado uma das figuras mais importantes da história da Medicina, a quem é atribuído o título de “pai da medicina” – dita há mais 2400 anos, corrobora o que hoje apregoamos: bons hábitos alimentares ajudam a prevenir doenças bem como a fortalecer o organismo para o tratamento de doenças. No caso do câncer, a alimentação saudável contribui para o sucesso do tratamento, pois auxilia deixando o sistema imunológico mais fortalecido.

Segundo a nutricionista do Instituto de Oncologia do Paraná, Karen Cardoso Inamassu, uma alimentação saudável tem a capacidade de deixar a pessoa bem disposta e mais forte. “Pacientes em tratamento oncológico que ingerem uma quantidade adequada de nutrientes, como carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, vitaminas e minerais, estão mais aptas a lidar com os efeitos colaterais da quimioterapia, prevenindo a perda de peso grave que pode chegar ao processo de caquexia, processo muitas vezes irreversível”.

Os efeitos colaterais mais comuns são a caquexia e a anorexia e costumam ocorrer principalmente devido ao tratamento quimioterápico e à radioterapia. A caquexia é caracterizada pela perda peso do tecido adiposo, muscular e ósseo e pode ocorrer entre 50 a 80% dos pacientes com câncer avançado. Já a anorexia é caracterizada pela ingestão insuficiente de nutrientes ocasionada pela capacidade reduzida de comer normalmente. Pode causar desidratação, acarretando em agitação, confusão, dentre outros sinais e sintomas.

A avaliação nutricional em pacientes oncológicos deve ser feita no início do tratamento. Karen destaca que a avaliação nutricional pode identificar precocemente a possibilidade de uma alteração do estado nutricional, que poderá impactar negativamente no processo de tratamento. Além da alimentação saudável, rica em proteína, a atividade física, desde que liberada pelo médico, faz-se essencial para auxiliar na manutenção da massa muscular.

O que fazer durante o tratamento

O serviço de Nutrição do IOP faz o acompanhamento nutricional do paciente para que ele consiga manter o peso e evite os efeitos colaterais da quimioterapia, como a xerostomia (boca seca), disgeusia (alteração no paladar), mucosite (inflamações que podem acontecer na boca, como aftas, faringe, laringe, esôfago), que atrapalha na ingestão da alimentação, náusea, vômitos e diarreia. Essas situações podem comprometer o ato de se alimentar e consequentemente o paciente vir a perder peso

Dieta suplementar

Para o nutrólogo e cirurgião oncológico do Grupo IOP, Vinicius Basso Preti, “Caso haja necessidade, durante o tratamento oncológico podem ser utilizados alimentos especiais ou suplementos, geralmente industrializados, que possuem quantidade maior de caloria, proteína ou outros nutrientes e são capazes de suprir as carências que o organismo do paciente necessita para se manter fortalecido. A necessidade do uso dos suplementos é avaliada individualmente, visto que o uso incorreto poderá trazer outros efeitos colaterais ou até prejudicar a eficácia do tratamento”, destaca.