Agende uma consulta

Conscientização sobre o câncer de mama é importante, mas fazer mamografia é fundamental

Quando diagnosticado em estágios iniciais, o câncer de mama tem as taxas de cura elevadas

As campanhas de prevenção contra o câncer são de grande importância para conscientizar a população sobre a necessidade da prevenção e do diagnóstico precoce da doença, já que se o tratamento iniciar no estágio primário do tumor, as chances de cura tendem a aumentar e os procedimentos podem ser menos invasivos ou mutilantes.

O Brasil realiza desde 2002 a campanha Outubro Rosa, que tem como principal objetivo alertar sobre o câncer de mama. Campanhas como esta conseguem levar para o máximo de pessoas a ideia da prevenção, mas a população também deve colocar em prática os conhecimentos adquiridos durante essas ações.

“Quando falamos em câncer de mama, embora a conscientização seja importante, detectar o câncer precocemente com uma mamografia pode salvar a vidas. Para tanto, é necessário que as mulheres criem uma rotina de exames, a se iniciar mensalmente com o autoexame das mamas e, principalmente, a mamografia, um exame de rastreamento muito confiável”, salienta a ginecologista e mastologista Karina Furlan, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP.

Dra. Karina explica que o câncer de mama quando diagnosticado em estágios iniciais tem as taxas de cura elevadas, possibilitando a chance de sucesso no tratamento em mais de 90%. Quando a lesão é avançada, a curabilidade em cinco anos cai para 60%. “Por isso, é fundamental que todas as mulheres com 40 anos ou mais façam a mamografia anualmente e, quando houver histórico familiar da doença, a faixa etária para início do rastreamento deve ser individualizada. As mulheres devem procurar especialistas para realizar os exames, independente de terem sintomas ou não. A prevenção ainda é fundamental para evitar tumores avançados e ter sucesso no tratamento”, aponta a médica.

Mamografia é exame de rastreamento

Em oncologia, é muito comum o termo rastreamento e muitas pessoas se perguntam o que é. De acordo com Dra. Karina Furlan, “Rastreamento é, basicamente, um conjunto de métodos aplicados para o diagnóstico precoce do câncer ou de lesões pré-cancerosas em determinada população que não apresenta sinais ou sintomas de câncer. No câncer de mama, o rastreamento é feito pela mamografia, capaz de detectar lesões pequenas de até 1 mm, quando ainda não são palpáveis, e muito tempo antes que se manifestem os sintomas do câncer de mama”.

Atualmente, pode-se contar com dois tipos de mamografia: a digital e a em 3D, com recurso de tomossíntese. Se houver necessidade, é também indicada a realização de ultrassonografia e eventualmente a ressonância magnética.

Como é o exame?

A mamografia é um exame de raio x cujo equipamento é o mamógrafo, hoje disponível em todas as cidades brasileiras. A mulher é posicionada em pé, de forma que o seio fique entre as duas placas do mamógrafo, que é onde as imagens serão capturadas. Durante o exame a mulher deverá ficar imóvel e segurando a respiração durante alguns segundos. Algumas mulheres podem sentir desconforto por causa da compressão durante o procedimento. O exame dura geralmente entre 15 e 25 minutos.

Recomendação para mulheres 50+

O Ministério da Saúde recomenda que mulheres entre 50 e 69 anos devem fazer o exame de mamografia a cada dois anos. Porém, esse período deve ser decidido por um médico especialista, que analisa caso a caso e pode recomendar que seja feita antes desse prazo.

Tags

O IOP utiliza cookies e tecnologias semelhantes que nos ajudam a fornecer melhor experiência e navegação. Ao clicar no botão “Concordar” ou continuar a navegar em nosso site, você está ciente e concorda com o uso de cookies.