Dia Nacional da Mamografia é um alerta para a prevenção do câncer de mama

3 de fevereiro de 2020

Dia Nacional da Mamografia é um alerta para a prevenção do câncer de mama

No dia 5 de fevereiro comemora-se o Dia Nacional da Mamografia, exame de rastreio fundamental para a detecção precoce do câncer de mama, sendo recomendada pela Sociedade Brasileira de Mastologia que seja feita a partir dos 40 anos e anualmente. Se houver casos de câncer de mama na família, a recomendação é procurar um médico, que orientará sobre a realização do exame.

Atualmente, existem três tipos de mamografia: a convencional, a digital e a mamografia em 3D.  As mamografias podem detectar anomalias da mama antes que os sinais ou sintomas apareçam.

“O rastreamento serve para detectar lesões pequenas e que não são palpáveis antes que se manifestem os sintomas do câncer de mama. O principal sintoma é o nódulo mamário indolor, mas nódulos nas axilas assim como retrações ou alterações da aparência da mama também podem ser sinais da doença”, salienta o oncologista clínico Henrique Lopes, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP.

O rastreamento deve ser iniciado com a mamografia convencional ou a digital, a mamografia 3D (também conhecida como tomossíntese) é recomendada apenas para casos específicos. A mamografia convencional e a digital demonstraram eficácia semelhante em detectar lesões, entretanto a recomendação é pela mamografia digital em mulheres abaixo dos 50 anos, por permitir a manipulação da imagem para facilitar visualização de lesões suspeitas. “A mamografia 3D é útil em casos selecionados, em dúvidas e dificuldades diagnósticas. Entretanto, está associada a maior exposição à radiação e, embora estudos demonstrem maior capacidade de detecção de lesões, não há comprovação de que possa reduzir a mortalidade pelo câncer em comparação com a mamografia convencional. Por isso, ela ainda é uma técnica indicada para casos específicos ainda e não de rotina”, cita o especialista.

Dr. Henrique Lopes faz, ainda, um alerta: “Nos grandes centros do país, a mamografia está facilmente disponível, inclusive a digital, mas em diversas regiões do Brasil não há mamógrafos disponíveis para realizar o exame para as mulheres ao qual ele é indicado. Além disso, nem todas as mulheres que têm indicação de realizar a mamografia realizam o exame regularmente. Cabe à população, ao Ministério da Saúde e às sociedades médicas trabalhar para expandir o acesso da população aos exames e para que as pessoas que têm indicação realmente o façam, a fim de reduzir a mortalidade pelo câncer de mama no nosso país”.