Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo é um alerta para a sociedade

19 de fevereiro de 2021

Em 20 de fevereiro comemora-se o Dia Nacional de Combate às Drogas e ao Alcoolismo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que a dependência em drogas lícitas ou ilícitas é uma doença. O uso indevido de substâncias como álcool, cigarro, crack e cocaína, dentre outras, se tornou um problema de saúde pública que preocupa nações do mundo inteiro.

O senso comum costuma conceber como dependência química apenas as drogas ilícitas, talvez porque as bebidas alcoólicas componham o cenário cotidiano das pessoas em geral sendo livremente adquiridas e consumidas. Mas a verdade é que o álcool gera uma dependência química que é tão perigosa quanto o uso desenfreado das drogas ilegais.

De acordo com a nutricionista Karen Cardoso Inamassu, o álcool é uma substância tóxica que altera o metabolismo. “Ele danifica o sistema imunológico, lesiona o fígado, pâncreas e rins, além de aumentar o risco de a pessoa desenvolver câncer de boca, faringe, laringe, esôfago, estômago, fígado, colorretal e mama. O ideal é que não seja consumido”, salienta.

Segundo informações do Instituto Nacional de Câncer (INCA), há uma relação dose-resposta entre o consumo de bebidas alcoólicas e o risco de câncer. Ou seja, quanto maior a dose ingerida e o tempo de exposição, maior será o risco de desenvolver os tipos de cânceres já citados.

Para a psicóloga clínica Renata Gonçalves, do IOP, esse dia serve como um alerta, mas é importante lembrar diariamente que o vício em drogas ilícitas e álcool é considerado uma doença e como tal deve ser cuidada. “A dependência de drogas se tornou um problema de saúde pública, tendo em vista que ela afeta a sociedade como um todo de forma complexa. Diante disso os profissionais de saúde, incluindo o psicólogo, devem estar presentes no cuidado do indivíduo que deseja se tratar. O atendimento psicológico irá proporcionar um espaço de escuta, buscando compreender quais fatores levaram aquela pessoa até a dependência e construindo de forma conjunta ações que possam permitir uma transformação. O caminho pode ser longo, mas necessário!”

Tags