Agende uma consulta

Enfermagem e Farmácia do IOP participam de treinamento sobre novo medicamento para mieloma múltiplo

Sempre em busca de adquirir novos conhecimentos para potencializar ainda mais o tratamento oferecido aos pacientes, as equipes de Enfermagem e Farmácia do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP participaram, no último dia 19 de abril, de um treinamento especial da indústria farmacêutica Janssen sobre o medicamento que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou recentemente: o Teclistamabe, um bioespecífico. A nova droga é indicada para o tratamento de pacientes adultos com mieloma múltiplo recidivado ou refratário que receberam pelo menos três terapias anteriores.

Para a Adrielly Amorim, enfermeira responsável técnica da unidade IOP-Oncoville, um dos pontos importantes discutidos durante o encontro reforçou que a equipe envolvida no processo deve reconhecer os efeitos colaterais do uso desse medicamento, uma vez que os profissionais têm um papel muito importante de orientação frente ao paciente. “É muito importante a descoberta de novos medicamentos, principalmente para o mieloma múltiplo porque ele continua sendo um câncer incurável. Para a Enfermagem, é primordial manter-se atualizada para que possamos assistir o paciente com segurança e manejar os eventos colaterais que porventura possam acontecer.”

Já para Rafael Fernandes, responsável técnico pela Farmácia na unidade IOP-Hospital Marcelino Champagnat, o evento realizado por profissionais da Janssen, farmacêutica da Johnson & Johnson, “Introdução a biespecíficos para mieloma múltiplo”, teve como objetivo apresentar uma nova possibilidade de tratamento ao paciente portador de mieloma múltiplo recidivado ou que já tenha recebido ao menos três terapias direcionadas. “Cada vez que ocorre uma recaída são gerados milhares de plasmócitos alterados e uma nova terapia deve ser realizada. Pela característica da própria doença, a jornada do paciente tende a ser difícil, o que mostra a importância de se realizar os tratamentos de forma individualizada o mais precoce possível, e incluir as novas tecnologias sempre que forem indicadas, para eliminar o máximo possível de células malignas e garantir melhores desfechos.”

O Teclistamabe é um anticorpo biespecífico, primeiro de sua classe, que redireciona células T DC-3-positivas para as células do mieloma que expressam antígeno de maturação de células B (BCMA), induzindo a morte de células tumorais. O medicamento é administrado pela via cutânea, já vem pronto para o uso e representa um ganho importante no tratamento para os pacientes portadores de mieloma múltiplo.

 

Siga o IOP nas redes sociais:

Tags

O IOP utiliza cookies e tecnologias semelhantes que nos ajudam a fornecer melhor experiência e navegação. Ao clicar no botão “Concordar” ou continuar a navegar em nosso site, você está ciente e concorda com o uso de cookies.