Agende uma consulta

Estudo CheckMate 67T: novas perspectivas no tratamento do câncer renal de células claras

Uma importante contribuição para o avanço no tratamento do câncer renal de células claras vem do estudo multicêntrico CheckMate 67T, recentemente divulgado. Este estudo, de fase 3, randomizado e aberto, examinou a não inferioridade farmacocinética e a taxa de resposta objetiva (ORR) do Nivolumab subcutâneo em comparação com o Nivolumab intravenoso em pacientes com carcinoma renal de células claras, localmente avançado ou metastático.

O Nivolumab intravenoso já é reconhecido por sua eficácia em diversos tipos de tumores. No entanto, a evolução dos paradigmas de tratamento destaca a necessidade de opções de administração que garantam a carga do tratamento e melhorem a eficiência dos sistemas de saúde. Nesse contexto, a administração subcutânea de anticorpos para várias indicações de câncer tem se mostrado uma alternativa segura e eficaz.

Este estudo, conduzido em múltiplos centros de pesquisa ao redor do mundo, incluindo o Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), demonstrou a não inferioridade do Nivolumab subcutâneo em comparação com a formulação intravenosa. Os resultados fornecem uma base sólida para considerar o Nivolumab subcutâneo como uma opção terapêutica tão eficaz quanto a via intravenosa.

É importante destacar que a participação do IOP Pesquisa como centro-coparticipante e a contribuição de outros centros brasileiros, como o Hospital Nossa Senhora da Conceição em Porto Alegre, foram fundamentais para o sucesso deste estudo além de uma honra em termos profissionais capacitados como referência em estudos dessa relevância.

Esses resultados são promissores, pois sugerem que a administração subcutânea do Nivolumab pode oferecer uma alternativa viável e conveniente para os pacientes, otimizando o tempo e facilitando a aplicação da imunoterapia. Esta é uma tendência importante para o futuro dos tratamentos oncológicos, visando melhorar a qualidade de vida dos pacientes e a eficácia dos sistemas de saúde.

Continuaremos monitorando de perto os desdobramentos desse estudo e esperamos que ele contribua significativamente para o avanço no tratamento do câncer renal de células claras.

Sobre o IOP – Instituto de Oncologia do Paraná:

Com quatro sedes estrategicamente localizadas em Curitiba (PR), o IOP (Instituto de Oncologia do Paraná) comemorou em 2023 seus 28 anos de fundação. Hoje a empresa faz parte de uma holding, o Grupo Med4U. Além do IOP, estão no guarda-chuva o IOP Educa, IOP Pesquisa, Mantis Diagnósticos Avançados, Valencis Home Hospice e Oncoville, centro de radioterapia.

Destaques para a parceria com o Hospital São Marcelino Champagnat, desde dezembro de 2021, assim como a parceria com o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Vale ressaltar que o IOP é a única clínica do sul do Brasil a fazer parte da Rede Einstein de Oncologia e Hematologia, para discussão de casos, troca de conhecimentos e encaminhamento de casos raros e mais complexos quando necessário.

Com 87 médicos no corpo clínico e 184 colaboradores, o IOP oferece os mais avançados tratamentos no câncer, conjugando Medicina de qualidade, tecnologia e humanização. Conta ainda com uma equipe multidisciplinar, incluindo Nutrição, Psicologia, Enfermagem e Farmácia para o enfrentamento positivo da doença. Os tratamentos de ponta ainda são beneficiados com diferenciais como cromoterapia, aromaterapia e musicoterapia. Para agendar sua consulta, acesse nosso site

O IOP utiliza cookies e tecnologias semelhantes que nos ajudam a fornecer melhor experiência e navegação. Ao clicar no botão “Concordar” ou continuar a navegar em nosso site, você está ciente e concorda com o uso de cookies.