A importância da escolha do especialista para o tratamento do câncer

4 de setembro de 2017

O diagnóstico e tratamento adequados são fundamentais para se tentar obter sucesso no tratamento e para isso é fundamental saber escolher corretamente o especialista que irá tratar a doença. O primeiro tratamento é aquele em que o paciente tem as maiores chances de cura, portanto deve ser realizado de forma mais correta possível. A oncologista especialista em cirurgia de cabeça e pescoço e cirurgia oncológica do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), Dra. Paola Pedruzzi, ressalta que “Em primeiro lugar, o paciente deve procurar um médico e equipe que o acompanharão durante todo o tratamento e por toda a vida, durante a fase do diagnóstico, escolha do tratamento e na fase de seguimento (pós-tratamento) ou follow-up. O oncologista é o médico especializado no tratamento do câncer”.

Dra. Paola Pedruzzi aponta quais os pontos que o paciente deve considerar ao realizar a escolha pelo médico:

Experiência

A experiência clínica é fundamental, pois nem sempre o melhor tratamento pode ser definido apenas por exames clínicos e literatura. Existem excelentes oncologistas que tratam de tumores em diferentes áreas do corpo e esta é a atuação da maior parte dos oncologistas. Procure saber a formação do médico oncologista assim como dos demais profissionais envolvidos no tratamento. Outros profissionais, porém, se especializam em determinadas áreas da oncologia, como exemplo, o cirurgião de cabeça e pescoço, que é um especialista no tratamento de tumores como tireoide, boca, laringe, faringe, cistos e malformações do pescoço em geral, tumores de glândulas salivares, tumores da pele, etc. Em geral, a atuação do cirurgião de cabeça e pescoço está restrita a estes tipos de tumores e este profissional acaba, durante toda a sua vida profissional, se dedicando ao estudo desta doença, tendo uma maior experiência no manejo desses tumores.

Comunicação

É importante escolher um profissional que tenha disponibilidade para sanar as principais dúvidas e preocupações do paciente e de sua família. A confiança é fundamental para uma relação saudável entre médico e paciente.

Equipe e serviços

O tratamento do câncer geralmente exige diversos serviços e tipos de profissionais, entre eles estão os especialistas, como oncologista clínico, radioterapeuta, cirurgião oncológico, geneticista, fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo, dentre outros. O serviço deve, de preferência, oferecer todo o tratamento e suporte necessários. Em algumas circunstâncias, o paciente pode mudar de cidade e acaba, consequentemente, dando continuidade ao tratamento com outra equipe médica. Em situações mais complexas, como nas recidivas da doença, há uma grande dificuldade de troca de equipe e médico. A orientação é de que o paciente mantenha, sempre que possível, o tratamento e acompanhamento com a mesma equipe.

“De forma geral, procure se informar sobre a experiência do médico, se frequenta cursos e eventos em sua área de atuação, ou por opinião de outros pacientes. Não confie em promessas de resultados fáceis ou milagrosos. Na dúvida, procure mais de um profissional para esclarecimento sobre a doença, opções de tratamento, efeitos colaterais e demais detalhes”, destaca Dra. Paola Pedruzzi.

Leia mais:

Médico do IOP cria técnica inédita no mundo que pode preservar a fertilidade das mulheres com tumores pélvicos

Diagnóstico precoce é fundamental no tratamento do câncer de estômago