Mais exercícios, zero álcool e alimentação saudável para a prevenção do câncer

15 de julho de 2020

Mais exercícios, zero álcool e alimentação saudável para a prevenção do câncer

Recomendação de estudo americano prioriza estilo de vida e bem-estar

Recentemente, a Sociedade Americana do Câncer (American Cancer Society – ACS) divulgou novas orientações para prevenção do câncer. Entre elas, destacam-se pontos como mudanças na dieta, consumo de álcool e aumento de atividade física. Os resultados foram publicados no Cancer Journal for Clinician. A Sociedade Americana tem por conduta fazer recomendações frequentes no combate à doença e nesta fase revisou pontos essenciais feitos com outras instituições internacionais. De acordo com o estudo, devemos adotar padrões alimentares saudáveis e não apenas alimentos específicos, que são importantes para reduzir o risco de câncer e melhorar a saúde geral.

A endocrinologista e metabologista Juliana Kaminski, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP, cita que vivemos neste tempo de pandemia uma fase de isolamento e distanciamento social e isso pode afetar a forma como nos alimentamos. “Temos observado aumento do consumo de alimentos calóricos, como doces e lanches com excesso de carboidratos e gorduras. Também houve aumento do consumo de bebidas alcoólicas. Tudo isso, somado a restrições para a prática de atividade física, têm impactado no peso da população. É de conhecimento geral que uma má alimentação, o sedentarismo e a obesidade favorecem o surgimento de vários tipos de câncer.”

O estudo da Sociedade Americana do Câncer traz como novidade o aumento da quantidade ideal de atividade física para 300 minutos por semana (anteriormente, a indicação era de 150 por semana, ou seja, 30 minutos em cinco dias da semana). Além disso, também citou que não há limite de segurança para o consumo de álcool, ou seja, tolerância zero, e que a dieta para prevenção do câncer deve incluir variedade de frutas, verduras, legumes e grãos integrais. Devem ser reduzidas ou evitadas as bebidas adoçadas artificialmente, os alimentos processados e os carboidratos refinados.

“Com a prática de exercícios físicos, há vários benefícios, além do controle do peso. Há melhora da composição corporal, porque a atividade física reduz a gordura abdominal e preserva a massa muscular e a massa óssea. A gordura abdominal produz excesso de insulina e de citocinas inflamatórias, as quais estão associadas a doenças cardiovasculares e também ao surgimento ou piora da evolução de alguns tipos de tumores”, cita a especialista.

Além disso, um estilo de vida saudável deve incluir uma rotina de sono para favorecer a produção do hormônio melatonina pelo nosso cérebro, o qual é responsável pela qualidade do sono. A redução das horas noturnas de sono altera o ritmo fisiológico de produção de vários hormônios, o que contrribui para o ganho de peso e também dificulta o controle de doenças metabólicas como o diabetes.

Melhorando a alimentação

A ACS recomenda o aumento do consumo de alimentos in natura e na quantidade adequada para se manter um peso saudável, evitando a obesidade. “A indicação do estudo é que a pessoa faça a opção, na hora de fazer suas refeições, por vegetais coloridos, principalmente os verde-escuros, vermelhos e laranjas, leguminosas, frutas e grãos integrais. Quanto às bebidas alcoólicas, é de conhecimento que estão relacionadas a pelo menos sete tipos de tumores. E só isso já é motivo suficiente para se evitar o consumo”, destaca a endocrinologista.