Encontro Anual Virtual da AACR aborda COVID-19 e câncer

28 de abril de 2020

Médica do IOP participa de Encontro Anual Virtual da AACR que abordou COVID-19 e Câncer

A Associação Americana de Pesquisa do Câncer – AACR realizou durante os dias 27 e 28 de abril seu I Encontro Anual Virtual (Virtual Annual Meeting I). A reunião virtual, que contou com mais de 54 mil inscritos, mostrou uma seleção de apresentações de cientistas de todo o mundo, em papel de alto impacto, com exposições orais, além de perspectivas sobre a ciência por trás dos ensaios clínicos, que mostram ciência básica e translacional. Foram também realizados minissimpósios com apresentação de novas drogas que incluem as primeiras divulgações de pequenas moléculas e produtos biológicos inovadores que entraram recentemente nos ensaios clínicos nas fases experimentais de medicamentos, testes laboratoriais e conhecimento mais aprofundado da genética e do câncer.

Câncer e COVID- 19
A oncologista clínica Rosane do Rocio Johnsson, do Instituto de Oncologia do Paraná, participou do Encontro Virtual e fez uma reflexão após assistir a Sessão Plenária que trouxe ensaios clínicos sobre COVID-19 e câncer. De acordo com a oncologista clínica, “O mundo está enfrentando uma pandemia muito diferente de qualquer lembrança na nossa história mais recente, com um acúmulo e crescimento de casos de maneira exponencial. Os pacientes portadores de câncer têm um perfil único durante a pandemia, com alto nível de contato com o sistema de saúde, podemos incluir consultas médicas, realização de exames de imagem e laboratorial, idas às salas de infusão de medicamentos, na sua maioria em espaços compartilhados, o que acaba colocando o paciente em maior exposição ao coronavírus (Covid -19), exacerbando ainda mais a vulnerabilidade de nossos pacientes ao vírus”.

Outro ponto a ser destacado pela médica é que é preciso ter conhecimento para entender o verdadeiro impacto do COVID-19 em pacientes com câncer, particularmente naqueles em tratamento ativo.

“Esta recente e aguda falta de conhecimento à vulnerabilidade fez surgir através de um esforço internacional dos centros de tratamento e apoio ao paciente oncológico a colaboração de trabalho numa força tarefa mundial, sem precedentes, para coletar experiências e informações de forma organizada, o mais rápido possível, para que, em um curto período de tempo, as descobertas possam ter implicações de mudança na prática clínica de imediato. É urgente saber também os resultados a longo prazo em pacientes que se recuperaram da doença aguda de Covid-19, pois os efeitos das semanas e meses após o diagnóstico ainda precisam ser determinados na população oncológica”, cita Dra. Rosane Johsson.

Os esforços que começaram a surgir com a divulgação de estudos como o TERAVOLT (grupo de estudos de neoplasia de câncer torácico e Covid-19) na prática já estão ajudando e disseminado informações em benefício de pacientes com câncer e com seus cuidadores. E essa é uma boa notícia.

Buy traffic for your website