Agende uma consulta

Mês da Mulher marca conquistas, mas traz alerta para os cuidados com a saúde

O Dia Internacional da Mulher (8 de março) é uma data que foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU) na década de 1970 com o objetivo de lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas do sexo feminino ao longo da história. O movimento global também se concentra em tópicos importantes, como a saúde da mulher, por isso vale o alerta sobre os três principais tipos de câncer (exceto pele não melanoma) que afetam a população feminina: mama, colorretal e útero.

Para a oncologista clínica Rosane do Rocio Johnsson, do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), “A detecção precoce é a chave para a cura. Por isso que enfatizamos para as mulheres a importância da colonoscopia (câncer colorretal), exame de Papanicolaou (colo do útero) e mamografia (mama). É de extrema importância que as mulheres entendam que os procedimentos de triagem não são apenas ‘mais um teste’. A detecção precoce do câncer permite um tratamento com melhores resultados em geral”.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA) são previstos 704 mil novos casos de câncer para cada ano do triênio 2023-2025. No Paraná, estima-se um registro de 36.900 casos novos de câncer em 2023, com 6.080 diagnósticos apenas em Curitiba. Estão previstos: mama – 73.610; colorretal – 23.600; colo do útero – 17.010 novos casos no país.

Câncer de Mama

“O câncer de mama corresponde a cerca de 28% dos casos de tumor em mulheres e o diagnóstico precoce é fundamental para que o tratamento seja iniciado”, aponta a médica. Segundo a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (FEMAMA), se a pessoa for diagnosticada precocemente, as chances de cura podem chegar a 95%.

Conheça os principais sintomas do câncer de mama:

. Alteração na circulação sanguínea;

. Aparecimento de linfonodos (gânglios linfáticos) palpáveis na axila;

. Aparecimento de nódulo (normalmente indolor, duro e irregular);

. Descamação do mamilo;

. Dores na região;

. Formação de ferida (úlcera no mamilo);

. Inchaço na pele (edema cutâneo), semelhante à casca de laranja;

. Inversão do mamilo;

. Retração na pele;

. Secreção que sai dos mamilos.

Preste atenção às suas mamas

Vale muito conhecer o próprio corpo, por isso o autoexame também é uma forma de prevenção do câncer de mama, mas realizá-lo mensalmente não substitui a avaliação médica anual.

Mamografia

A mamografia é o exame de rastreamento para o câncer de mama e é capaz de detectar lesões pequenas de até 1 mm, quando ainda não são palpáveis, e muito tempo antes que se manifestem os sintomas do câncer de mama, por isso é fundamental fazer a partir dos 50 anos ou sob recomendação médica.

Tratamento

O tratamento varia de acordo com o estadiamento da doença, suas características biológicas, bem como as condições da paciente, como idade, status menopausal, comorbidades e preferências. Em geral, o tratamento local envolve cirurgia (seguida ou não de reconstrução mamária) e radioterapia. O tratamento sistêmico envolve quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica.

Câncer colorretal

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer colorretal é o segundo tipo que mais causa mortes no mundo, com mais de um milhão de óbitos anualmente. Em geral, o câncer colorretal se desenvolve a partir de pólipos (adenomas), lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Mas isso não significa que todos os pólipos viram tumores. Quanto mais cedo for detectado e tratado, maior é a chance de cura. A colonoscopia é o método padrão para o diagnóstico, mas se necessário poderá ser solicitado o exame de pesquisa de sangue.

As causas do câncer colorretal incluem fatores genéticos e a presença de doenças inflamatórias no intestino, o que pode aumentar o risco de surgimento de lesões cancerígenas nessa área. Há também os chamados fatores de risco, como tabagismo, obesidade e sedentarismo, que aumentam o risco para se desenvolver câncer colorretal. “A idade também é um fator de risco, e com o envelhecimento da população, estamos vendo cada vez mais aumentar o número de casos. Mas isso não significa que pessoas jovens não possam ter esse tipo de câncer, por causa de hábitos de vida”, explica Dra. Rosane do Rocio Johnsson.

Sintomas do câncer colorretal

. Alteração do hábito intestinal (ir mais ou ir menos ao banheiro) sem causa aparente;

. Alteração na forma das fezes (ficam mais pastosas ou mais finas);

. Dor abdominal;

. Cólicas;

. Presença de sangue nas fezes;

. Sensação de estufamento.

Como é o tratamento?

A primeira opção é cirurgia, quando então é o tumor é removido junto com a parte do intestino afetada. A colonoscopia também poderá ser usada para remover tumores pequenos. Quando a doença está em estágios mais avançados e se espalhou para outros órgãos, a terapêutica envolve quimioterapia, imunoterapia ou uso de medicamentos específicos.

A prevenção para esse tipo de câncer é ter uma dieta à base de alimentos naturais, como verduras, frutas, legumes; redução do consumo de carnes vermelhas; consumo de fibras (grãos); praticar exercícios físicos; não fumar ou beber; realizar os exames de rotina e visitas periódicas ao médico.

Câncer do colo do útero

Está no topo como primeiro câncer ginecológico com a maior incidência no Brasil. É causado pela infecção persistente por alguns subtipos do Papilomavírus Humano (HPV), especialmente o HPV-16 e o HPV18, responsáveis por cerca de 70% dos cânceres cervicais

Tem como se prevenir?

A principal forma de prevenção é a vacina contra o HPV, podendo prevenir 70% dos cânceres de colo do útero e 90% das verrugas genitais. Outra forma de prevenção está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo HPV, que ocorre por via sexual, com o uso de preservativos durante a relação sexual.

Além disso, o exame preventivo (Papanicolaou) deve ser feito periodicamente por todas as mulheres após o início da vida sexual, pois é capaz de detectar alterações pré-cancerígenas precoces que, se tratadas, são curadas na quase totalidade dos casos, não evoluindo para o câncer. O diagnóstico precoce é fundamental as taxas de cura, por isso é importante manter os exames de rotina.

Conheça os sintomas do câncer de útero

O câncer de colo do útero tem um desenvolvimento lento e não manifesta sinais durante a fase inicial, mas no estágio mais avançado da doença é importante ficar atento aos sintomas que podem aparecer, entre eles estão:

. Sangramento vaginal;

. Secreções vaginais anormais;

. Perda de peso sem motivo;

. Sangramento após relação sexual;

. Menstruação irregular;

. Náuseas;

. Fadiga;

. Dor abdominal associada a problemas intestinais e urinários.

Quais as formas de tratamento?

Vai depender do estágio em que a doença se encontra e de fatores pessoais, como a idade da paciente. “Em fase inicial, a preferência é por cirurgia. Já nas mais avançadas são indicadas a radioterapia combinada com quimioterapia.

Atenção, mulheres: vocês podem contar com serviços de apoio do IOP!

Acolhimento e apoio são cuidados que as pacientes oncológicas encontrarão no IOP. Como diferencial, são oferecidos os serviços de Navegação e Concierge a todas as pacientes que passarão por tratamento na instituição, os quais auxiliarão na condução, na organização e otimização de toda a jornada dentro e fora da clínica quando necessário. Além disso, são oferecidas orientações de toda a equipe multidisciplinar envolvendo as áreas de Nutrição, Psicologia, Farmácia e Enfermagem, com o objetivo de acolher e preparar a paciente e o familiar/acompanhante para a fase do tratamento, além de fortalecer as emoções para o enfrentamento positivo da doença.

“São vários os programas e protocolos que permeiam toda a equipe multidisciplinar, com único objetivo de cumprir a missão do IOP que é ‘Cuidar bem com excelência técnica e superação constante’, entregando valor aos pacientes e familiares nesse momento que tanto necessitam de acolhimento, qualidade e segurança nos processos e nos profissionais que lhes atendem”, aponta Sabrina Nunes Garcia, diretora de Operações.

É importante entender que o ser humano é complexo e que possui aspectos energéticos que fazem parte do seu ser e que influenciam na melhora de sua condição. Por isso, sempre na vanguarda, o IOP oferece terapias complementares a pacientes que estão no Centro de Infusões, como aromaterapia, cromoterapia e musicoterapia.

Saiba mais

Aromaterapia é uma técnica que utiliza as propriedades dos óleos essenciais, que produzem o aroma das plantas aromáticas para promover um tratamento natural de diversas enfermidades, além de proporcionar um bem-estar físico e mental e um ambiente revigorado. A técnica é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) desde 1976.

Cromoterapia é um método que se utiliza de cores com objetivo de harmonizar o corpo, atuando em todos os seus níveis. Cada cor possui uma vibração específica e uma capacidade terapêutica que auxilia e promove a saúde e o bem-estar. A cromoterapia também é uma terapia complementar reconhecida pela OMS.

Musicoterapia é um método que proporciona tranquilidade, conforto e bons pensamentos através da música, promovendo um ambiente harmonioso durante a espera e aplicação de medicamentos. Além disso, traz alegria, dinamismo e gera engajamento dos pacientes, familiares e profissionais, o que favorece o processo de trabalho, de recuperação e enfrentamento. Um dos benefícios é seu efeito distrator, que foca a atenção da pessoa longe de estímulos negativos para algo agradável e encorajador, além de ressignificar momentos do cotidiano, e auxiliar pacientes e familiares a serem mais fortes diante das possíveis mudanças ocasionadas pela doença e pelo tratamento. As apresentações dos músicos acontecem semanalmente. Pacientes, familiares e profissionais poderão tocar junto, caso queiram e se sintam à vontade para tal.

Siga o IOP nas redes sociais:

Tags

O IOP utiliza cookies e tecnologias semelhantes que nos ajudam a fornecer melhor experiência e navegação. Ao clicar no botão “Concordar” ou continuar a navegar em nosso site, você está ciente e concorda com o uso de cookies.