Novo remédio para tratamento do mieloma múltiplo

22 de fevereiro de 2017

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou no início deste ano o Dalinvi (daratumumabe), substância aprovada para duas indicações terapêuticas.

A liberação deste medicamento irá favorecer os pacientes em tratamento do mieloma múltiplo, tipo de câncer que tem início na medula óssea. Os plasmócitos, células que normalmente produzem anticorpos, tornam-se malignos, atingindo as demais células e ossos do corpo.

De acordo com a oncologista clínica do IOP, Dra. Rosane do Rocio Johnsson, “O medicamento é contra o mieloma múltiplo. Estudos em múltiplos centros, incluindo serviços brasileiros, demonstraram uma taxa global de resposta de 84%. É um resultado muito importante considerando pacientes já submetidos a tratamentos prévios”.

Vale salientar que o medicamento, tratado pela Anvisa como produto biológico novo e inédito no país, tem duas indicações terapêuticas específicas que são:

  • em combinação com bortezomibe e dexametasona, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que receberam pelo menos um tratamento prévio;
  • em monoterapia, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo que receberam pelo menos três linhas de tratamento prévio, incluindo um inibidor de proteassoma (IP) e um agente imunomodulador, ou que foram duplamente refratários a um IP e um agente imunomodulador.

Conheça a proteína CD38

O daratumumabe é um anticorpo monoclonal humano IgG1 kappa que se liga à proteína CD38 expressa em nível alto na superfície de células em diversas doenças hematológicas malignas, incluindo células tumorais de mieloma múltiplo, assim como outros tipos de células e tecidos em vários níveis.

A proteína CD38 tem várias funções tais como adesão mediada ao receptor, sinalização e atividade enzimática. O daratumumabe mostrou ser um inibidor potente do crescimento in vitro de células tumorais que expressam CD38.

“Esta nova medicação, que é um anticorpo monoclonal  e é a primeira droga desta classe aprovada para os pacientes com mieloma, demonstrou resultados de eficácia sem precedentes no tratamento do mieloma múltiplo. Por ser terapia-alvo, provoca poucos efeitos colaterais e proporciona qualidade de vida aos pacientes. O medicamento atua diretamente sobre as células cancerosas e também fortalece o sistema imunológico do paciente a favor do combate a essas células, trazendo, assim, um benefício impressionante , o que auxilia no restabelecimento da qualidade de vida dos pacientes. Os resultados apresentados o fazem ser considerado no meio científico como um marco na evolução para o tratamento do mieloma. Além de resgatar os pacientes que não têm mais opções de tratamento disponíveis, daratumumabe beneficia ainda mais o paciente que faz o tratamento de forma precoce, aumentando o tempo que o paciente fica sem recaída da doença. A expectativa de vida, que era em média de três anos, passou para oito anos de sobrevida, um número expressivo e que não podemos ignorar quando pensamos em cada um de nossos pacientes e seus familiares”, atesta a doutora Rosane Johnsson.

Buy traffic for your website