O que pacientes com câncer precisam saber para se vacinar contra a Covid-19

8 de junho de 2021

O que pacientes com câncer precisam saber para se vacinar contra a Covid-19

Uma das principais dúvidas dos pacientes oncológicos é se devem ou não tomar a vacina contra a Covid-19 e em que estágio do tratamento. A resposta é objetiva e certeira: sim e é válida para pacientes com câncer em tratamento ou que tenham terminado o tratamento há até seis meses, desde que sejam liberados por seus médicos.

“A nossa recomendação aos pacientes é fazer uso da vacina. Vale lembrar que pacientes em tratamento quimioterápico podem apresentar risco maior de ter complicações pela Covid-19 em função do sistema imunológico debilitado. Outro ponto a ser enfatizado é discutir com o médico responsável pelo tratamento qual o melhor momento para tomar a vacina enquanto estiver fazendo a quimioterapia, pois é importante a recuperação da imunidade do paciente entre um ciclo e outro”, aponta a oncologista clínica Thais Abreu de Almeida, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP.

O Estado do Paraná segue a ordem definida pelo Ministério da Saúde para o Plano Nacional de Imunização – PNI com a vacinação de pessoas do grupo com comorbidades segundo a faixa etária na ordem decrescente. Para o tomar a vacina a pessoa deverá levar um documento intitulado “Declaração de comorbidades para vacinação contra a Covid-19”, assinada pelo médico que a assiste e que é fornecida pelo Conselho Regional de Medicina – CRM-PR.

São oferecidas até o momento três tipos de vacina de laboratórios diferentes, que foram aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA “Elas são seguras e até o momento o que se sabe é que as reações às vacinas são as mesmas tanto para o paciente oncológico quanto para a população em geral. Sintomas como dor no braço, no corpo, febrícula, dentre outros, foram relatados independente de ter ou não o câncer”, cita a oncologista clínica.

Em qual braço tomar?
A recomendação é principalmente para mulheres que realizaram esvaziamento axilar – cirurgia para a retirada dos gânglios da axila para a retirada de tumores da mama – e que devem tomar a picada no braço oposto ao que sofreu a cirurgia. No caso de ter ocorrido esvaziamento nos dois lados, a vacinação deve ser feita do mesmo modo, aí a pessoa poderá escolher o braço menos comprometido.

Cuidados devem continuar sempre
É fundamental que os cuidados para evitar a contaminação tenham continuidade. Tomar a vacina não significa imunização total, afinal, as vacinas não têm 100% de eficácia, por isso, vale manter o distanciamento social, ter etiqueta respiratória, fazer a higienização das mãos, usar a máscara de forma correta, jamais no queixo ou pendurada na orelha, manter o ambiente de casa arejado. “Especificamente para os pacientes com câncer, é recomendada a lavagem de mãos, cuidados com alimentos, devem ser bem lavados, e usar máscara adequadamente”, destaca Dra. Thais de Abreu Almeida.

Vacina da gripe
O outono traz com ele o tradicional friozinho e como consequência o famoso resfriado e as gripes, requerendo, dentre elas a H1N1, os devidos cuidados e atenção.

Pacientes oncológicos devem tomar a vacina da gripe, também estabelecida dentro do Programa Nacional de Vacinação por faixa etária. “A recomendação é que o paciente pergunte a seu médico se ele pode ou não tomar a vacina da gripe, pois há alguma restrição para quem faz tratamento com imunoterapia, podendo ocorrer alguns efeitos colaterais, e quem usa determinadas drogas-alvo”, conclui Dra. Thais de Abreu Almeida.

Buy traffic for your website