Oncologista alerta sobre proteção da pele durante o inverno

23 de agosto de 2019

Oncologista alerta sobre proteção da pele durante o inverno

Ao contrário do que se imagina, no inverno as pessoas também devem manter o cuidado com a pele. É nessa época que ocorre com maior frequência a desidratação cutânea, bem como é o período propício para retirar as pintas menos agressivas.

O oncologista do Instituto de Oncologia do Paraná (IOP), Leandro Ribeiro, orienta que no inverno a incidência dos raios-ultravioleta B é menor do que no verão, enquanto a incidência do ultravioleta A é constante em todas as estações. “Com o fenômeno do aquecimento global e do efeito estufa, é preciso continuar usando fator de proteção solar, especialmente para os fototipos mais vulneráveis, que são as pessoas com pele e olhos claros”, descreve.


Evitar tomar banho com chuveiro em alta temperatura

Para evitar a desidratação cutânea, o médico aponta que é preciso evitar banhos prolongados e em alta temperatura. “O ideal é que o chuveiro esteja entre 25 e 30 graus e que as pessoas busquem utilizar sabonetes com pH neutro ou com grande quantidade de glicerina”, informa.

Outro inimigo da pele no inverno é o uso de agentes abrasivos durante o banho, como esponjas e buchas. No inverno, a pele naturalmente fica mais oleosa, criando uma proteção aos efeitos nocivos do inverno. Ao retirar essa proteção, a pele perde mais líquido. “Com isso, a pele fica avermelhada, apresenta descamações e coceira”, acrescenta. Além desses cuidados, o oncologista recomenda que a população continue ingerindo bastante líquido, de preferência água, também no inverno para manter a hidratação da pele.