Oncologista: do diagnóstico ao tratamento

8 de julho de 2021

Oncologista é responsável por gerenciar o atendimento durante todo o tratamento desde o diagnóstico

Em 9 de julho comemora-se o Dia do Oncologista, especialista responsável pelo diagnóstico e tratamento do câncer. Durante a sua formação acadêmica, os médicos desenvolvem habilidades que irão ajudar na abordagem com pacientes, que envolve a parte cognitiva (conhecimento em si), a técnica e a comportamental. A humanização faz parte do processo de formação, seja ao demonstrar empatia, seja acolhendo, aspectos fundamentais para a criação do elo médico-paciente, que vai gerar segurança e confiança durante todas as fases do tratamento.

No campo da Oncologia há três principais áreas: clínica, cirúrgica e radiação, que são:
. Oncologista clínico trata o câncer com quimioterapia ou outros medicamentos, como terapia direcionada (terapia-alvo), hormonioterapia ou imunoterapia. A sua abordagem é geral, pois vai do cuidado do paciente a tratamentos sistêmicos.
. Cirurgião oncológico é o responsável pela remoção de um tumor e do tecido adjacente durante a cirurgia. Cabe a ele, também, realizar certos tipos de biópsias que irão ajudar no diagnóstico do câncer.
. O rádio-oncologista trata o câncer usando a radioterapia, cujo objetivo é destruir as células cancerosas e retardar o crescimento do tumor, ao mesmo tempo que limita o dano ao tecido saudável próximo. Quando não é possível destruir todo o câncer, os oncologistas clínicos podem indicar a radioterapia para reduzir os tumores e aliviar os sintomas como dor, por exemplo, melhorando a qualidade de vida da pessoa

Com o evoluir da própria oncologia, foram sendo criadas novas especialidades. Hoje, tem-se o oncologista ginecológico, que trata tumores do útero, ovário e colo de útero; o oncologista pediátrico, que trata o câncer em crianças, como tumores cerebrais, leucemia, osteossarcoma e sarcoma de Ewing; hematologistas, responsáveis pelo diagnóstico e tratamento do câncer do sangue, como leucemias, linfoma e mieloma múltiplo. Cada vez mais vemos novas especialidades oncológicas surgindo e alargando o espectro no cuidado da doença.

O papel do oncologista
Cabe ao oncologista gerenciar o atendimento ao paciente durante todo o curso de sua doença e isso já começa com o diagnóstico, ao explicar sobre a doença, o estágio, as formas de tratamento, as opções e como deverá ser conduzido, para que se obtenha o melhor prognóstico. Outro papel fundamental do oncologista é ajudar o paciente a controlar os sintomas e efeitos colaterais do câncer do tratamento dele derivado.

Dependendo do diagnóstico, seu estadio (fase em que se encontra a doença), o oncologista clínico pode pedir a uma comissão de tumor ou tumor board para que se revise o caso do paciente, explorando todas as possibilidades e o melhor plano terapêutico.

Mas, afinal, tem hora certa para se buscar um oncologista?
O câncer já deixou de ser tabu a partir do momento em que passou a não ser mais associado a uma sentença de morte. Hoje em dia, campanhas educacionais alertam a população sobre a importância do diagnóstico precoce, cujo objetivo é aumentar as chances de cura de sobrevida do paciente oncológico. Consultas periódicas e exames regulares são importantes para um diagnóstico precoce.

Em muitos casos, o câncer não causa sintoma no início e mesmo a pessoa fazendo exames ele pode surgir de forma silenciosa. O importante é saber que o houve grande avanço no tratamento, que pode dar uma resposta de sucesso. Além disso, hoje em dia os tratamentos são menos agressivos e mais eficazes. Os oncologistas têm um arsenal de novas drogas à disposição para a escolha da melhor terapêutica.

No IOP, os médicos sempre buscam o conhecimento de forma contínua, participando de congressos, eventos científicos, fazendo palestras e também com a realização de novos cursos de mestrado, doutorado e mesmo pós-doutorado. Todo esse cabedal é colocado em benefício do paciente.

Médico investigador atua em estudos clínicos

Estudos clínicos são fundamentais para o desenvolvimento e avanço do conhecimento científico. Com foco nas áreas de oncologia, hemato-oncologia, cardio-oncologia e complicações do paciente oncológico, o Centro de Pesquisas Clínicas do IOP integra um seleto grupo de centros e é reconhecido mundialmente por realizar testes para obter avanços no tratamento do câncer, seguindo códigos de ética bem estabelecidos. Recentemente, o Centro de Pesquisas Clínicas entrou para o TOP 5 no quesito recrutamento de voluntários para estudo clínico de câncer de ovário juntamente com clínicas da Rússia e da Ucrânia.

Hoje o Centro de Pesquisas Clínicas atingiu sua maturidade, galgando liderança em estudos clínicos, sendo uma referência em protocolos de tratamento e publicações científicas de reconhecimento internacional.

Para fazer frente a este trabalho, os oncologistas assumem o papel de investigador responsável pelos estudos clínicos. Mais uma área de atuação que faz a diferença no tratamento de pacientes com câncer.