Organização Mundial de Saúde lança campanha sobre Segurança do Paciente

16 de setembro de 2019

Organização Mundial de Saúde lança campanha sobre Segurança do Paciente

A Organização Mundial da Saúde (OMS) passa a celebrar a partir deste ano, no dia 17 de setembro, o Dia Mundial da Segurança do Paciente. Com o tema “Segurança do paciente: uma prioridade global” e slogan “Vamos lutar pela segurança do paciente”, a campanha tem como principal objetivo mobilizar pacientes, profissionais de saúde, formuladores de políticas públicas, pesquisadores, redes profissionais e o setor de saúde para defender a segurança do paciente. Passa a ser adotada a cor laranja, que será utilizada para iluminar monumentos e unidades de saúde ao redor do mundo.

De acordo com a OMS, mais de 138 milhões de pessoas são afetadas anualmente por erros médicos, e 2,6 milhões morrem por esta causa. Erros no diagnóstico, na prescrição de remédios e tratamento e uso inadequado de fármacos são os três principais registros de falhas, segundo afirmou a médica Neelam Dhingra-Kumar, coordenadora de segurança para os pacientes da OMS.

A celebração da data é mais uma conquista da população e abre espaço para reflexão, como o reconhecimento da importância da segurança do paciente como uma prioridade da saúde, uma vez que ela constitui um dos componentes mais importantes da qualidade da assistência.

Mas o que é preciso fazer para melhorar a segurança do paciente? Esse questionamento nos permite abrir duas possibilidades de respostas.

1 – Se você é um paciente, procure envolver-se ativamente no seu próprio cuidado. Faça perguntas e tenha em mente que cuidados de saúde seguros começam com uma boa comunicação. Além disso, forneça informações precisas aos profissionais de saúde sobre seu histórico de saúde.

2 – Caso seja um profissional de saúde ou líder de serviços de saúde, tente envolver os pacientes como parceiros em seus cuidados. Trabalhem juntos (você e o líder de serviços de saúde) pela segurança do paciente. Garantir o desenvolvimento profissional contínuo permite melhorar as habilidades e conhecimentos em segurança do paciente. É muito importante também criar uma cultura de segurança aberta e transparente.

* Com informações da EFE e Anvisa.