Você sabe o que são medicamentos biossimilares?

5 de março de 2021

A biotecnologia tem evoluído muito com o desenvolvimento de novos medicamentos para tratamento de ponta contra o câncer, contribuindo para a redução dos efeitos colaterais e direcionando a ação dos medicamentos para alvos específicos nas células.

Entre as biotecnologias disponíveis estão os biossimilares. Para entender o que são os medicamentos biossimilares, temos que compreender o que é um medicamento biológico. Um biológico é uma molécula desenvolvida a partir de células vivas pela adição de um novo segmento de DNA à célula. Esta célula, então, copia ou faz uma tradução desse pedaço de DNA em uma proteína que após ser purificada se tornará o medicamento biológico. Os biossimilares são uma versão dos biológicos de referência cuja patente já expirou. Eles devem ser semelhantes ao biológico inovador. “A grande diferença está mesmo no custo, já que os biossimilares são mais acessíveis à população pelo custo mais baixo, devido ao fato de haver estudos de desenvolvimento do medicamento, uma vez que este já é a cópia do medicamento de referência”, cita a farmacêutica Pâmella Hachbardt, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP.

Número maior de pessoas se beneficiam

Essa classe de medicamentos está há mais de dez anos no mercado e vem sendo utilizada para tratamento oncológico, de doenças autoimunes, distúrbios hematológicos, da pele e renais. Com a expansão dos biossimilares é possível oferecer alternativas inovadoras aos pacientes, ampliando o acesso aos tratamentos, que podem resultar em mais qualidade de vida e maior sobrevida.

A oncologista clínica Ana Maria de Oliveira, do IOP, considera importante o uso de biossimilares na ampliação do acesso ao tratamento médico e à redução de custos aos sistemas de saúde. “Importante também lembrar que são produtos altamente similares a produtos de referência, com pequenas diferenças nos componentes inativos e sem diferenças em termos de segurança, pureza e eficácia. Seu uso abre uma grande oportunidade para que várias pessoas recebam o que há de mais moderno e eficiente nos dias atuais”, cita.

“Como exemplos de biossimilares aprovados e utilizados no Brasil, temos o Infliximabe, para o tratamento de doenças autoimunes; o Rituximabe, indicado no tratamento de linfomas, e o Trastuzumabe, muito utilizado para tratamento do câncer de mama HER2 Positivo, sendo sua aprovação em nosso país baseada no estudo fase 3 HERITAGE”, destaca Dra. Ana Maria.