A importância do acompanhamento psicológico para o paciente com câncer

26 de agosto de 2020

A importância do acompanhamento psicológico para o paciente com câncer

Em 27 de agosto comemora-se o Dia do Psicólogo, e se esse profissional é necessário em qualquer fase da vida de uma pessoa para a manutenção do equilíbrio emocional e evolução do autoconhecimento, torna-se ainda mais imprescindível se, numa determinada fase da vida, ela recebe o diagnóstico de uma doença grave como o câncer, que pode desequilibrar seriamente sua vida e alterar completamente a rotina familiar. E é esse o momento para se buscar a ajuda desse profissional.

“Procurar apoio é importantíssimo, uma vez que o paciente se depara com diversas questões relativas à doença e tudo o que a cerca, as quais podem gerar expectativas que, muitas vezes, não condizem com a realidade”, cita a psicóloga clínica Renata Gonçalves, do Instituto de Oncologia do Paraná – IOP.

O câncer é uma doença impactante e, para a maioria das pessoas, suscita questões adaptativas, aumento da fragilidade emocional e alterações no modo de ser e estar no mundo. Cada pessoa apresenta uma forma diferente de agir e esse comportamento muito possivelmente pode se manifestar em fases, como de negação, revolta, depressão, aceitação. Às vezes nem sempre nesta ordem. Há pacientes que, no entanto, aceitam bem o diagnóstico e partem para o tratamento de forma muito segura.

Em todos os casos, de qualquer forma, é muito recomendável que se busque apoio psicológico, a partir do qual, paciente e profissional vão buscar, juntos, identificar, compreender e agir sobre os fatores psicológicos que estão interferindo na saúde global do paciente, lançando mão de estratégias para manter o bem-estar emocional antes, durante e após o processo de tratamento da doença.

“Cabe ao psicólogo fornecer um espaço de escuta e suporte, visando melhorar a qualidade de vida desse paciente. Além disso, o atendimento psicológico pode favorecer o autoconhecimento e as reflexões acerca da doença e tratamento”, destaca Renata, que acrescenta: “O psicólogo realiza acolhimento e escuta, sem julgar ou criticar o paciente, podendo também auxiliar os familiares, que vivem com o paciente esse processo, porque a família também está sujeita a passar por momentos de aflição, angústia e outros sentimentos que necessitam ser trabalhados”.

Importa salientar que estudos registram que pacientes oncológicos que estiveram em acompanhamento psicológico durante o tratamento do câncer, apresentaram significativa melhora no seu estado geral de saúde, além de uma importante melhora na qualidade de vida, na tolerância aos efeitos adversos do tratamento, quer com quimioterapia, radioterapia ou cirurgia, e, ainda, melhora na comunicação com os familiares e com a equipe de saúde de seu tratamento.

Serviço de Psicologia – uma escuta a seu lado
O IOP conta com o Serviço de Psicologia desde 1998, pois considera o tratamento oncológico a partir de uma visão sistêmica, sendo que o estado emocional do paciente faz parte deste cuidado. Além do acolhimento, da escuta especializada voltada a pacientes e familiares, o Serviço de Psicologia desenvolve discussão de casos na equipe interdisciplinar, participações em reuniões que visem a melhoria do serviço, além de palestras que forneçam maior conhecimento aos pacientes, familiares e equipe. Todas as atividades visam ao bem-estar psicológico do paciente na instituição.